HOSPITAL PEQUENA ÍNDIA

início

Dr. Jean Marcel Lemes

Médico Infectologista

Médico com título de Especialista em Ayurveda pela ABRA (Associação Brasileira de Ayurveda) e pela AVP (Ashta Vaidya Pharmacy - Coimbatore - Índia)

 

O Hospital Integrativo disponibiliza atendimento de qualidade integrado entre várias especialidades clínicas e tratamentos terapêuticos de forma integrada proporcionando resultados eficientes.

Buscamos isto devido a dados, pois segundo Márcia Aparecida Padovan Otani e Nelson Filice de Barros em "A medicina Integrativa e a construção de um novo modelo na saúde" relatam que:

 

" Os registros da história da medicina mostram que o cuidado em saúde teve diferentes modelos, desenvolvidos de acordo com o contexto e as bases culturais e materiais de cada época. O modelo ocidental atual é o biomédico, o qual apresentou fantásticas soluções para problemas da saúde e doença. No entanto, há algumas décadas tem sido fonte crescente de insatisfação da população, devido a sua dicotomia do cuidado e à superespecialização nas diversas áreas da medicina."

 

O desencantamento com o modelo biomédico ou com a medicina convencional leva muitas pessoas a procurarem formas alternativas de tratamento, de modo que o número de profissionais que praticam outros modelos de cuidado e cura está em expansão. O movimento de busca das práticas alternativas intensifica-se na década de 1960, motivado por vários outros fatores, como mudança do perfil de morbimortalidade, com a diminuição das doenças infectocontagiosas e aumento das doenças crônico-degenerativas em alguns países; aumento da expectativa de vida; crítica à relação assimétrica de poder entre médicos e pacientes, em que o profissional não fornece informações suficientes sobre o tratamento e cura do paciente; consciência de que a medicina convencional é deficiente para solucionar determinadas doenças, especialmente as crônicas; insatisfação com o funcionamento do sistema de saúde moderno, que inclui grandes listas de espera e restrições financeiras; informação sobre o perigo dos efeitos colaterais dos medicamentos e das intervenções cirúrgicas

 

 Esses fatores contribuíram para o desenvolvimento do modelo alternativo, ou seja, para a disseminação das ideias alternativas, relacionadas à lógica da alternância, assumindo ora um, ora outro aspecto. No campo da saúde, o modelo alternativo da medicina é compreendido como o polo oposto do modelo biomédico, pois enquanto a biomedicina investe para desenvolver a dimensão diagnóstica e aprofundar a explicação biológica, principalmente com dados quantitativos, a medicina alternativa volta-se para a dimensão da terapêutica, aprofundando-se nos problemas explicados pelas teorias do estilo de vida e ambiental.

O acelerado crescimento das práticas alternativas trouxe tensões adicionais para o campo da saúde. Procurando harmonizar parte desses conflitos, no final dos anos 1980, nos Estados Unidos e no Reino Unido, foi adotada a denominação Medicina Complementar, que significa “complemento”, ou seja, “que sucede ao elementar”, havendo assim a possibilidade de as-sociação de modelos,  fundada em conjunções aditivas (“e...e”) em detrimento das conjunções alternativas (“ou...ou”).

 

Na década de 1990 foi criado, por exemplo, o National Center for Complementary and Alternative  Medicine, nos Estados Unidos, que adota a seguinte definição para Medicina Alternativa e Complementar (MAC): Complementary and alternative medicine is a group of diverse medical and health care systems, pratices, and products that are not presently considered to be part of  conventional medicine.

 

No final da década de 1990, na tentativa de descrever um novo modelo de saúde que retrate a integração dos diversos modelos terapêuticos, mais do que simplesmente opere com a lógica complementar, e que ofereça o cuidado integral à saúde, foi criado o termo “Medicina Integrativa” (MI). A palavra “integração” significa o ato ou efeito de se integrar; ação ou política que visa

integrar em um grupo as minorias raciais, religiosas, sociais.

Uma variedade de definições temsido usada para descrever a ideia de integração entre as práticas convencionais e não  convencionais, porém, atualmente, ainda se busca uma conceituação consistente.

 

O Nosso trabalho no Hospital Integrativo propõe a comunhão dos conhecimentos da sabedoria médica oriental com a ciência médica ocidental. Trabalhamos com Medicina Integrativa onde utilizamos as seguintes especialidades da medicina oriental e alternativa: Ayurveda, acupuntura, massoterapia, Moxa, Ventosa, Quiropraxia Indiana, Florais, Homeopatia, Homeopatia Antroposófica Arte-terapia, Yoga, Meditação, entre outras.

 

Todo o nosso trabalho se inicia com o diagnóstico do desequilíbrio psico-físico e espiritual. Este procedimento é muito importante para a escolha correta da terapia adequada a cada paciente.

Segundo o Instituto de Cultura Indu Naradeva Shata, se cada parte do mundo faz cada vez mais parte do mundo, também o mundo, enquanto um todo está cada vez mais presente em cada uma das suas partes. Isso acontece não só com as nações e os povos, mas também com os indivíduos.  Desta forma, considerar a saúde integrativa e a viabilidade da sustentabilidade integral por meio do Ayurveda inserida na realidade brasileira é proporcionar um novo paradigma de saúde e interculturalidade. A nossa educação ocidental ensinou-nos a separar, compartimentar, isolar e não a ligar os conhecimentos, levando-nos por isso a conceber a nossa humanidade de maneira insular, fora do cosmos que nos rodeia e da matéria física de que somos constituídos. Por sua característica transdiciplinar, o Ayurveda integra e interpenetra as sabedorias culturais com base em sua teoria não fragmentada do universo, segundo a matéria, a vida e a informação são apenas formas diferenciadas da mesma energia.

Uma perspectiva que leve em conta o ser-humano, homens e mulheres, a sociedade e a natureza, ou seja, a ecologia interior, a ecologia social e a ecologia planetária, sendo esses aspectos sempre ligados e em constante interação para à pratica de sistemas de saúde que privilegie harmonia do indivíduo com a natureza. E uma vez que progressivamente esse individuo descobre que sua vida e a de seus semelhantes dependem de um delicado equilíbrio ecológico: a consciência sócio centrada se desdobra então em consciência planetária.

Coloca em prisma crenças e atitudes humanas alicerçadas no saudável e em valores positivos.

Por sua característica transdisciplinar, integra, interpenetra e compõe aspectos de várias outras áreas do conhecimento. Evidencia a emergência de valores positivos, crenças e atitudes humanas alicerçadas no saudável.  Enfatiza a importância da evolução das partes para atingir a harmonia na totalidade. Valoriza o respeito à natureza e suas formas de vida, os valores culturais e incentiva o desenvolvimento em todas as áreas.

 

Quando questionando o Buddha sobre a causa do sofrimento da humanidade, o asceta errante Sivaka, que pode ter sido um médico, disse que alguns Samanas e Bramanas afirmam que o sofrimento é causado apenas pelas ações passadas, Karma. O Buddha disse que esta visão era incorreta e que a causa do sofrimento da humanidade tinha oito razoes: “bile (Pitta), fleuma (Kapha), vento (Vata) e suas combinações (sannipata), mudança das estações (utu), estresse de atividades não usuais (visamaparihara) (e.g.sentar ou ficar muito tempo em pé), os excessos, sair repentinamente a noite, (ser mordido por uma cobra) agentes externos (ser preso como ladrão ou adúltero) e o resultado de ações passadas é o oitavo” (Zysk, 1998; 30)

 

Na área adjacente ao hospital será mantida a horta, pomar e herbário, dos quais sairão parte dos alimentos e medicamentos fornecidos aos pacientes.  Tudo que for plantado será de forma orgânica.

O hospital terá área de atendimento ambulatorial, semi internamento (o paciente passa o dia, mas volta para casa), e internamento.

Será mantido um programa para cada paciente para que possam interagir em meio a natureza, manter a mente calma, aprender técnicas de equilíbrio, alimentar-se de forma natural e buscar outras formas de alimentação através dos sentidos.

 

 

Diretrizes

 

As diretrizes do Hospital Integrativo regulam ao seu posicionamento e postura perante seus integrantes, a sociedade e o meio ambiente:

 

Respeito a si próprio

 

Respeitar seus próprios limites

 

Cuidar do seu bem estar, saúde física e mental

 

Respeitar sua família

 

Respeito ao próximo

 

Respeitar religiões ou crenças diferentes as suas

 

Respeitar a sociedade, não permitindo nem sendo conivente com a corrupção

 

Não faltar com o respeito com os colegas, pacientes, familiares ou ainda com o próprio Hospital

 

Respeito a natureza

 

Não permitindo o descarte de matérias prejudiciais ao meio ambiente

 

Preservando o meio ambiente

 

Respeitando os animais

 

Utilizando de forma consciente plantas para os tratamentos

 

Referênicas

HMA - http://www.sgc.goias.gov.br/upload/links/arq_285_hma23anos.pdf

http://www.medicinachinesapt.com/index.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Homeopatia

http://ayurveda.com.br/o-ayurveda/

http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n3/16.pdf

http://www.ayurveda.com.br/ayurveda/home/default.asp?cod=296&cat=211

 

 

Hospital

PEQUENA ÍNDIA